Pastor é preso por agredir filha de 2 meses até deixá-la paraplégica e cega

Policiais Civis da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente de Niterói, no Rio de Janeiro, prenderam Rogério Chaves da Silva, vulgo “Pastor Rogerinho”, de 31 anos, acusado de espancar brutalmente a filha recém-nascida, de apenas dois meses, em abril de 2016.

Segundo a Polícia Civil, as agressões deixaram a criança cega, paraplégica e com problemas cognitivos.

Na época foi feita uma tomografia na criança, e havia muitas lesões compatíveis com uma criança que foi sacudida a ponto de movimentar o cérebro. Exame de imagem revelou fratura temporal e hemorragia, além de contusão no tecido cerebral.

Durante o transcurso do processo, o pastor “Rogerinho” sequer compareceu ao juízo. Ainda, visando dificultar sua prisão, após o crime o foragido da justiça passou a se esconder no interior do Complexo da Maré, onde passou a pregar cultos evangélicos em um dos templos religiosos da referida Comunidade.

Rogério Chaves era considerado foragido pela Justiça e tinha anotações criminais por injúria, ameaça, difamação e violência doméstica contra a mulher. Ele foi preso no momento em que se deslocava até uma igreja no bairro de Quintino, com informações do Disque-denúncia na Zona Norte do Rio, na última terça-feira (16).

Botão Voltar ao topo
error: Conteúdo protegido contra cópia !!
Fechar
Fechar